quarta-feira, outubro 07, 2009

terça-feira, outubro 06, 2009

domingo, setembro 27, 2009

Verão 2009...







Ele já lá vai... dias quentes e bem animados não faltaram! Mesmo estando por casa, não foram de algum modo calmos!

terça-feira, julho 07, 2009

Panda é fixe!



Um dia especial... que eles adoraram!
As reacções foram muito diferentes!


Ela...

Sempre observadora, muito atenta a tudo e sempre calada!
Ficou triste com as Winxs, não voaram e não eram bonecas verdadeiras.


Ele...

Dançava, corria, andou descalço no relvado, cantava... enfim....
Vibrava a cada música que tocava!




Visita ao Zoo





Nesse dia o calor apertou desde cedo, com o lanche na mochila, água e muita vontade de um belo passeio, lá fomos nós, a Avó Didi, a mãe e as formigas animadas ao Zoo.

O programa prometia muitos animais diferentes, mas as estrelas do dia seriam os golfinhos!

Assim que chegámos quem nos recebeu foi a zebras com as umas riscas, o tigre de belgala, os macados dorminhocos, os lagartos, os passáros coloridos, o elefante e a girafa não nos escaparam ao olhar!

As cobras brancas, pretas e verde estavam a fazer companhia à tartarugas e aos enormes lagartos no reptilário.

O cansaço já era muito, mas não podiamos deixar de ver o melhor da festa... Os Golfinhos! Enquanto eles não apareciam um gelado fresquinho provámos. Na bancada descansámos um pouco até que apareceram os leões marinhos a fazer algumas travessuras. Finalmente os mais esperados deram os seu espetáculo, a excitação foi tanta que todas as forças deram tréguas e acabaram as formigas por adormecer!

Miminhos...


...da princesa!

Peixinhos!




Da visita ao Oceanário a Doris e o Nemo foram connosco para casa!

Música maestro!




Viva o Verão!!!!

O Inverno levou o frio, as constipações e os dias feios. Chegou o verão e além dos festivais de música, veio também a vontade da água salgada, os dias quente e os passeios na rua!


Parabéns!


... para ti princesa


Sei pelos teus olhos o que sou! Como estou e o que jamais serei...
Contigo cresci.
Contigo aprendi.
Sou melhor e o pior que posso encontrar!
És sensivel como uma flor e forte como o sol!
Brilhas como a melhor das estrelas!
A bravura de um touro em mim despertas e com um sorriso me acalmas.
Por ti não há sombras, por ti não tenho medo!
Para ti... princesa!

Conversas...dela....

Mãe - A. anda cá, seu rufia!
B. - Mãeeee! O mano não é rufia, é rufio!

segunda-feira, julho 06, 2009

Depois dela...


Foi a vez dele ter varicela....

No dia em que se esgotava o período de incubação do vírus, apareceram as primeiras borbulhas!

terça-feira, março 31, 2009

Uma prenda original para o Pai... dela...

...Varicela!
A suspeitas da avó foram comprovadas!
Depois de um telefonema a uma mamã experiente nestas aventuras, foi confirmada mais tarde com a pediatra.
Não havia mais nada a fazer, senão ter paciência, tratar das borbulhas e esperar que passem.
Foram dadas todas as recomendações médicas, e esperar o mano apanhar também!
Eram por todo o lado as borbulhas! Coitadinha... mas sem duvida que o xarope ajudou a controlar a pior fase de comichão. Portou-se muito bem!
Miminhos, docinhos, pomadas e cremes não faltaram. Claro que um susto não faltou, pois estava constipada e o fantasma da pneumonia andou a pairar lá por casa e todos estavam alerta.
Uns dias com a Tita S. outro com a B. nunca se fartou de ficar em casa, até pelo contrário.
Ao final do 5º dia as chatas borbulhas começaram a secar e o seu feitio de rebelde princesa voltou.

Entretanto... ao mano ainda não apareceu nenhuma! Veremos se escapa...


sexta-feira, fevereiro 27, 2009

Foi assim... o Carnaval

A princesa triste...



Depois de tudo pronto para que a sua fantasia fosse perfeita... não gostou e rapidamente o tirou, mas na escola não ficou indiferente aos colegas e lá se vestiu... chegou exausta e... com o vestido rasgado.

Mantendo-se sempre fiel à sua teimosia, não voltou a mascarar-se.


O pirata reguila...

Também ele não se queria vestir... mas ficou lindo!

... e foi uma verdadeira conquista tirar estas fotos... sem duvida ficam para a prosperidade...

Dia dos namorados

Um dia especial...



exige uma sobremesa especial....

segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Bye bye Tuta....

..tuta, xuxa, teta, chupeta...
Durante estes 3... quase 4 anos, foi tendo vários nomes, foram de várias cores e feitios, qualquer uma servia fosse nova, velha, grande ou pequena! Eram tantas que nunca soube ao certo quantas eram ao todo....
Foram várias as tentativas e várias as desculpas para que as deixasse de vez.
Agora que as mudanças por agora terminaram, depois do nascimento do mano, depois das mudanças de sala e de professora, não havia mais desculpas e aproveitando a acalmia, tinha chegado a altura.
A sua vontade de a largar não era muita, mas mostrava vontade de só a oferecer aos golfinhos, mas o tempo não ajudou para o ir visitar.
A estratégia usada foi pela história que a Barbie ouvia antes de dormir. A uma surpresa tinha direito se a chupeta largasse, aos poucos a mensagem foi percebida por ela... e a sua grande vontade de ter um vestido de princesa serviu de mote para que o seu desejo se tornasse realidade.
A partir desse dia nunca mais dormiu com ela, nem no colégio! Todos os dias ia descobrindo uma e mais uma, que ia escondendo nos seus sacos e malas, mas na boca não entravam...
A festa foi tanta que só por ter ganho tanto mimo de tanta gente, já valia a pena o esforço da a largar.
Ainda sente saudades e esconde-a quando alguma aparece no seu caminho.
A decisão teve ser dela para que fosse definitiva...

sexta-feira, fevereiro 06, 2009

Recordar...


O Circo
com as amigas B. e V.

Posted by Picasa

A importância de saber chegar a casa...

Mário Cordeiro, pediatra, disse:
Numa conferência organizada pelo Departamento de Assuntos Sociais e Culturais da Câmara Municipal de Oeiras, que muitas birras e até problemas mais graves poderiam ser evitados se os pais conseguissem largar tudo quando chegam a casa para se dedicarem inteiramente aos seus filhos durante dez minutos.
Ao fim do dia os filhos têm tantas saudades dos pais e têm uma expectativa tão grande em relação ao momento da sua chegada a casa que bastava chegar, largar a pasta e o telemóvel e ficar exclusivamente disponível para eles, para os saciar.
Passados dez minutos eles próprios deixam os pais naturalmente e voltam para as suas brincadeiras. Estes dez minutos de atenção exclusiva servem para os tranquilizar, para eles sentirem que os pais também morrem de saudades deles e que são uma prioridade absoluta na sua vida.
Claro que os dez minutos podem ser estendidos ou até encurtados conforme as circunstâncias do momento ou de cada dia. A ideia é que haja um tempo suficiente e de grande qualidade para estar com os filhos e dedicar-lhes toda a atenção.
Por incrível que pareça, esta atitude de largar tudo e desligar o telemóvel tem efeitos imediatos e facilmente verificáveis no dia-a-dia.
Todos os pais sabem por experiência própria que o cansaço do fim de dia, os nervos e stress acumulados e ainda a falta de atenção ou disponibilidade para estar com os filhos, dão origem a uma espiral negativa de sentimentos, impaciências e birras.
Por outras palavras, uma criança que espera pelos pais o dia inteiro e, quando os vê chegar, não os sente disponíveis para ela, acaba fatalmente por chamar a sua atenção da pior forma.
Por tudo isto e pelo que fica dito no início sobre a importância fundamental que os pais-homem têm no desenvolvimento dos seus filhos, é bom não perder de vista os timings e perceber que está nas nossas mãos fazer o tempo correr a nosso favor.

in Boletim de Julho da Acreditar

terça-feira, fevereiro 03, 2009

A princesa formiga...

Em tempos de mudanças, nova sala, novos colegas e novas professoras...
Foi sem duvida uma das alterações mais sentidas por ela.
A adaptação foi relativamente calma, mas de temperamento muito reservado e com alguma resistência às mudanças, aos poucos foi aceitando o novo ambiente da sala, os novos colegas, às professoras e auxiliar.
Aproximou-se, aos poucos e apegou-se com muito carinho à sua amiga Grande A. ( a professora), regista no coração quando é conquistada, mas por outras circunstância ela teve que mudar de sala, e a sua companhia foi para o mano... Sentiu-se em parte abandonada, não fosse a presença da P. para a compensar, e quem a foi subsitituir sentiu-lhe na pele as suas retaliações.... e em casa também. Dizia que a não era amiga da professora, inclusivamente a chegada à escola passou a ser mais dificil.
Andou agitada, com birras constantes, rejeitava ajuda para comer, recusou a dança e música, e as ordens eram feitas em vão.
Até ao dia... em que tudo deu errado! Birras por tudo e com todos...
As queixas chegaram e bastou um encontro com a educadora para que tudo viesse ao de cima.
E... para grandes males, tem que haver melhores remédios...
Á noite a história das princesas foram substítuidas pela história da professora triste.
Assim entendeu a mensagem e aos poucos a sua confiança foi ganha novamente.
Acalmou bastante, mais confiante, alegre, já é amiga da professora C. e adorou a aula de dança!

....ite... ite...ite e mais ite!

...gastroentrite, otite, conjuntivite e bronquiolite...
Tudo numa só semana! E quase tudo de uma vez só.
Emagreceu tanto, chorava e o pouco que ele conseguia dormir era no aconchego do colinho.
As noites eram branco num esforço inglório para que a tosse e a respiração o deixasse mais calmo.
Quando as duvidas de estar a fazer tudo quanto era possivel eram muitas, o doi-doi trim-trim, ajudava a acalmar os animos.
Foi uma semana para pôr à prova todas as mesinhas, paciência e coragem, que tinha bem guardado no baú.
As visitas dos avós não faltaram e o coração do avô andava muito apertadinho de o ver tão parado, coisa que nele não é normal.

Além do mimo que ganhou, a manha aliado à esperteza, que já é de sobra, agora que se sente bem, deram os seus resultados.
As birras cada vez são maiores, pede ainda mais atenção do que a que sempre o exige.

Agora que se sente melhor (e não quero outra tão cedo), voltou a rotina so colégio que ao contrário do que esperavamos, foi, para ele uma alegria ve-lo a ser recebido por beijos e abraços pelos seus pequenos/grandes amigos.

Ele, mais do que ninguém lá por casa, precisa de espaço, de ar livre, de gente à sua volta e muita animação...

sexta-feira, janeiro 23, 2009

Um doi-doi na beça...

Para dar boas vinda ao novo ano, nada como fazer uma visita ao hospital...
É o resultado que brincadeiras de 2 formigas a correrem desalmadamente em casa, a única forma de as evitar será proteger todas as portas ou amarra-los com correntes bem fortes ao sofá. Nenhuma das duas me pareceu viável, senão que iria presa seria eu!

Corre para aqui corre para ali, encontrão aqui, encontrão ali, eis quando se ouve o choro dele... Uma valente cabeçada com direito a corte na testa... Toca a pôr gelo de correr rapidamente para o hospital.

Com pulseira amarela no braço lá foi observado e lá foi tirar uma foto a preto e branco.
Afinal tudo estava bem, mas ficou com uma marca bem registada na testa que ainda hoje permanece .
E assim foi primeiro susto do ano...

sexta-feira, janeiro 16, 2009

Como foi.... O Natal!

...calmo... quer dizer...mais ou menos! Passadas as festas no colégio, das prendas compradas, da refeição preparada, chegou a hora....
Depois de uns dias com ele doente, com muita ranhoca, muitos lenços, aerossois, tosse e medicamentos.

Longe de toda a familia, juntinhos e no calor da nossa casa, assim se passou a nossa consoada, os 4 bem dispostos.
À mesa não faltou o bacalhau, batatas, couves e tudo o que tinhamos direito.
Para eles um chocolate para os dois partilhado às escondidas no sofá, para nós um bom tinto para que além do calor do coração nos aqueceu a alma.

Do outro lado do telefone estava o conforto das vozes de quem gostamos, lá ajudaram a passar as saudades a que nesta altura apertam.

A ansiedade de ver as suas caras a abrir os presentes teve que esperar até a manhã seguinte, era tanta que mal dormi e aguardava excitada pela hora de acordarem.

Assim que acordaram foram para a nossa cama, mas a preguiça era maior que a vontade de ir à sala para verem o que os esperava.
Debaixo da árvore uma montanha bem grande de papel colorido e laços cobria o chão da sala.
Não sei quem delirou mais, se fomos nós, se foram eles…

Ela vibrava tanto com as suas prendas , como com as prenda do irmão. Todas elas escolhidas conforme o seu desejo, mas faltou uma que na véspera a incomodava.... um principe para a sua Barbie princesa!!!! Não chegou a tempo, o cavalo constipou-se e não podia vir de carro!!!

Para ele bastava ter musica para o conquistar. Vibrou, adorou e fartou-se de dançar.

Para nós, bastou aquele momento!!!